Dia 21 (11/01/15) Nasca/Peru

Acordamos e tomamos o nosso café da manhã, que era simples, mas muito delicioso. Em seguida contratamos o passeio para sobrevoar as linhas de Nasca diretamente no hostal Camiluz. Em alguns minutos uma van foi nos buscar.

A princípio somente o Alexandre faria o passeio e, por esse motivo, contratamos apenas um voo pelo valor de US$80. Chegamos no aeroporto e o Alexandre foi acertar os últimos detalhes do voo e pagar a taxa de embarque, que custou 25 nuevos soles, o equivalente a 25 reais, na época. Até chamarem para a sala de embarque deve ter passado em torno de 1h.

DSC_1495

Aeroporto de Nasca

O avião tem capacidade para 6 passageiros e mais a tripulação, que é composta pelo piloto e pelo guia turístico. Nós contratamos a empresa AeroNasca e consideramos que o voo foi ótimo. O guia é muito dedicado, explica tudo com muita calma para que todos os passageiros, independente do lado em que estejam no avião, visualizem todas as figuras. O piloto também colabora muito inclinando o avião para um lado e depois para o outro, favorecendo que todos os passageiros consigam enxergar as figuras de acordo com as instruções informadas pelo guia, facilitando a identificação das mesmas. Independente do lado do avião que se está sentado, é possível visualizar bem todas as figuras.

Os passageiros ganham um mapa com a localização das figuras e o guia vai apontando e informando as figuras de todo o circuito.

DSC_1740

Guia orientando os passageiros para visualizarem as figuras

DSC_1669

O piloto

Enquanto o Alexandre sobrevoava as linhas, eu e as crianças ficamos aguardando no aeroporto. No local haviam muitos brasileiros e todos estavam viajando de moto ou carro. Ficamos conversando e eles começaram a me incentivar a voar, pois eu já estava ali no aeroporto. Como eu iria embora sem voar e aproveitar essa grande oportunidade?

Na verdade pensávamos em economizar, pois todos os passeios no Peru são muito caros. Além disso, também não estava muito interessada em realizar o voo, pois além do custo, estava com um certo receio de passar mal, enjoar e vomitar. No entanto, após ouvir tantas opiniões de quem já havia voado, fiquei pensando, por que não? Afinal quando teria uma nova oportunidade? Quando voltarei a Nasca?

DSC_1496

O avião

Dessa forma, aguardei a chegada do Alexandre para conferir a opinião dele sobre o voo. Enquanto aguardávamos tomamos picolé, pois o tempo estava muito quente, abafado e seco. As crianças não iriam voar. A Isabela não pagaria o voo, mas o Felipe sim. Como ele ainda é muito pequeno, não iria compreender ao certo o que eram as linhas. Além disso o passeio é caro, então acabamos deixando para uma outra oportunidade, quando ele for maior e tiver uma melhor compreensão. Com certeza essa oportunidade não vai faltar na vida dele.

Para compensar fomos em uma lojinha do aeroporto e ele escolheu duas pedrinhas com os desenhos das linhas de Nasca para trazer como lembrança. Ele ficou muito feliz com o presente. Na verdade ele não estava muito entusiasmado com o voo e nem ficou pedindo muito para ir junto. Ficou curtindo os aviões decolarem a aterrissarem e, para ele, isso foi suficiente.

Quando o Alexandre retornou me informou que valia muito a pena e que era para eu ir também. Comprei a passagem e fui. Dessa vez consegui um desconto de US$10. Vale a pena ir direto para o aeroporto e comprar um voo mais em conta. Os aviões que vimos das diversas empresas estão todos em bom estado. Além disso todos os voos mostram a mesma coisa. É valido até mesmo pechinchar pois, como são várias empresas que fazem o mesmo voo, com aviões semelhantes e a mesma duração, há uma certa concorrência entre eles.

Nós gostamos bastante do nosso voo com a empresa AeroNasca, pois o guia foi bem atencioso. Mesmo assim, vale a pena pesquisar e pechinchar um valor menor, ainda mais se forem várias pessoas a realizar o passeio.

Quanto ao voo, eu também adorei e acho que vale o investimento! Com as dicas do guia foi possível ver praticamente todas as figuras. Em relação a passar mal fiquei quase ilesa! Na verdade, não posso ver as pessoas passando mal pois, também passo. Uma guria passou mal na minha frente. Na verdade ficou só enjoada (ainda bem!) mas, depois de ver ela enjoada, comecei a enjoar também. Mas isso foi somente nos 10 últimos minutos do passeio, o que de fato não atrapalhou em nada. No entanto, confesso que no final estava louca que acabasse o voo para o enjoo passar! Uma dica importante é não voar de barriga cheia pois, não se sabe a reação de cada um. Portanto é bom não arriscar! O Alexandre não sentiu nada e adorou todo o voo. No avião dele um rapaz também ficou enjoado. No final do voo ganhamos até um certificado por ter voado (que na verdade é o mesmo guia de figuras que utilizamos durante o voo, de uma lado um mapa com as figuras e do outro o certificado). Abaixo algumas imagens do voo.

DSC_1599

O beija-flor

DSC_1624

A árvore. Também é possível observar os mirantes para visualizar as figuras na beira da estrada

DSC_1730

A estrada

DSC_1620

A aranhã

DSC_1610

Imagem da estrada

Após retornamos para o hostal fomos almoçar. O hostal fica bem próximo do centro e fomos a pé até a praça central, onde há diversas opções de restaurantes.

Depois do almoço fomos fazer alguns passeios pela região. Compramos um passaporte que nos deu direito a visitar vários lugares. Entre eles, o que consideramos mais interessante, foi os aquedutos de Cantalloc. Os aquedutos são subterrâneos e consistem em captar a água para a irrigação das áreas secas. É uma obra da engenharia hidráulica construída há mais de 2000 anos e que atualmente ainda são utilizados pelos agricultores da região.

DSC_1749

Aquedutos de Cantalloc

DSC_1756

Aquedutos de Cantalloc

DSC_1743

A água coletada

DSC_1752

A água coletada

DSC_1768

Após visitar os aquedutos demos mais algumas voltas pela região, visitamos Las Agujas e, em seguida, começou a anoitecer.

DSC_1882 DSC_1838 DSC_1850 DSC_1889

O boleto turístico que adquirimos dá direito a visitar os aquedutos de Cantalloc, El Telar, Aquedutos de Ocongalla, Los Paredones e Las Agujas. O principal atrativo são os aquedutos de Cantalloc. O valor do boleto é de 10 nuevos soles, na época, o equivalente a aproximadamente 10 reais.

DSC_1894

Nasca no entardecer

Na sequência dos passeios fomos ao hotel tomar um banho e saímos para dar uma volta na praça e jantar. A praça central a noite é bastante movimentada. Nas redondezas também há várias bancas vendendo frutas, vegetais, roupas, brinquedos e etc. Aproveitamos para comprar umas frutas para a viagem do dia seguinte. A cidade nos pareceu bem segura para uma caminhada pela região central, mesmo à noite.

Procurando onde se hospedar em Nasca? Clique no logo abaixo e efetue a sua reserva!

 

 

Tem interesse em efetuar uma reserva? Antes de reservar a sua hospedagem utilize os links do Booking do nosso blog ou fanpage e colabore conosco! Não há nenhum acréscimo de valor e nós ganhamos uma pequena comissão por cada reserva efetuada que irá auxiliar na manutenção do nosso blog.

 

Encontre o Viajando de Carro nas redes sociais.

Curta a Fanpage do Viajando de Carro no Facebook e acompanhe as notícias sobre todas as viagens que realizamos de carro.

Nos siga no Instagram @blogviajandodecarro e curta as fotografias que tiramos durante as nossas viagens.

Veja as nossas fotografias no Flickr.

Nos acompanhe no Twiter: @viajedecarro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *