Dia 29 (18/01/15) Iquique/Chile –> Tocopilla/Chile

Após o nosso desjejum no hotel, aproveitamos o final da manhã para levarmos as crianças na praia. A praia em Iquique é muito bonita e agradável. As crianças adoraram. Alugamos um guarda-sol, duas cadeiras e compramos um balde com pazinhas para as crianças brincarem na areia que, embora vendido na beira da praia, estava com um valor bem acessível.

Após passarmos um tempo na praia, retornamos ao hotel para trocarmos de roupa e irmos até a zona franca de Iquique, a Zofri. Embora já estivesse passado o horário do checkout, combinamos de deixar o nosso carro na garagem da hospedagem por considerarmos mais seguro do que deixar na Zofri, uma vez que a cidade não é muito segura. Além disso, não teríamos como carregar os nossos pertences de valor e seria arriscado se deixássemos dentro do carro.

Na avenida beira mar pegamos um taxi. Uma dica antes de embarcar é se certificar do custo até o local pretendido. Também é costume cobrarem um valor por pessoa e não apenas por corrida. O bom é se certificar do custo total para não haver surpresas.

Não tínhamos o objetivo de comprar nada. Apenas queríamos conhecer a zona franca da cidade. No entanto, para não sairmos de mãos vazias compramos apenas alguns chocolates para comer durante a viagem e massinha de modelar para as crianças.

A Zofri tem uma quantidade muito grande de lojas de todo o tipo de mercadorias: doces, brinquedos, eletrônicos, acessórios para carros, roupas, etc. É tudo muito organizado e possui uma ótima infraestrutura, com restaurantes e banheiros. Os preços são convidativos na maioria das vezes. Achamos os preços dos eletrônicos muito bons, alguns tão baixos como no Paraguai. Mas tem que pesquisar, pois alguns produtos tem o mesmo preço que o Brasil (inclusive eletrônicos).

Esta zona franca é bem melhor que a de Punta Arenas, no sul do Chile. A diversidade de lojas é muito superior e os preços são tão bons quanto lá.

Após sairmos da Zofri retornamos para o hotel para buscar o carro e seguir viagem rumo a Tocopilla. Mas, antes de pegar a estrada, fomos até uma farmácia pois, o Alexandre ainda não havia se recuperado do problema intestinal. Ele tem sofrido de fortes dores no estômago há alguns dias e está com bastante dificuldade para se alimentar. Falamos diretamente com o farmacêutico que indicou uma medicação. Ele alertou sobre o fato da diarréia estar persistente por vários dias e, caso ele não melhorasse em seguida com a medicação, teríamos que consultar um médico.

Depois da nossa consulta com o farmacêutico seguimos viagem em direção a Tocopilla. Todo o trajeto é feito por meio da RN1. A estrada está em excelente condições, com baixo movimento de veículos. A estrada vai costeando o Oceano Pacífico, o que proporciona belas paisagens durante todo o trecho percorrido.

Neste trecho passamos por uma praça de pedágio onde pagamos 950 pesos chilenos.

Um pouco antes de chegar a Tocopilla há uma aduana onde precisamos apresentar o documento de entrada temporária do carro, o qual foi emitido na aduana na fronteira com o Peru. Neste local há banheiros, lanchonete e um parquinho infantil com dinossauros.

Em Tocopilla não tínhamos reservado hospedagem. Ao chegar na cidade fomos procurar um local para nos hospedarmos. Encontramos então o Hotel Los Dominicos. Essa sem dúvidas é uma excelente opção de hospedagem. Oferece café da manhã, wi-fi, quartos confortáveis com frigobar, ar condicionado, tv e banheiro privativo. O local é muito agradável, bonito, organizado e limpo. O único ponto negativo é que durante a nossa estadia a água do chuveiro não esquentou. Acredito que tenha sido um problema momentâneo. Mesmo assim vale muito a pena e indicamos o local para hospedagem em Tocopilla no Chile.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *