, ,

Dificuldade em abastecer o carro fora do Brasil

Posto de combustível da rede PECSA (Peru)

O Chile possui um bom número de postos de combustíveis em suas cidades e rodovias. A maioria deles possui uma infraestrutura em bom estado. Por todo o país não ha dificuldade em pagar o combustível com cartões de crédito, mesmo que seja com chip.

A Argentina e Uruguai também possuem um bom número de postos de combustíveis. No entanto, principalmente nas rodovias, os postos estão em mau estado de conservação e há uma grande dificuldade de pagamento com cartões de crédito (ainda mais se for com chip).

Posto da rede Esso (Santa Fe/Argentina)

Posto da rede Esso (Santa Fe/Argentina)

Nos postos da Argentina, filas para abastecer são comuns. Atualmente (ano de 2015) as filas estão bem menores. Nas viagens que fizemos em 2011 e 2012 havia uma crise de combustíveis em boa parte do país. Era muito comum encontrar postos em que não havia combustível e, nos que haviam, as filas eram enormes. Chegamos a ficar mais de uma hora em filas para abastecer. Em nossas viagens de 2014 e 2015 não chegamos a encontrar postos com falta de combustível, mas, em compensação, os preços estão muito mais altos que no Brasil. Em janeiro de 2012 o preço médio da gasolina (nafta super – grado 2) custava R$ 2,12. Atualmente (janeiro/2015) está custando R$4,02, quase o dobro.

O Peru possuiu um bom número de postos de combustível. A aceitação de cartões de crédito, mesmo com chip, é tão boa quanto no Brasil ou Chile. O estado dos postos que varia muito e é comum encontrar muitos em condições bem precárias.

Abastecendo no Peru

Abastecendo no Peru

Abastecer na Bolívia é um problema. Em nossa viagem em janeiro de 2015 não tivemos dificuldades em abastecer no caminho entre Villazón-Potosí-Oruro-La Paz. No entanto, no trecho entre La Paz e Copacabana, nenhum posto quis nos vender gasolina. Devido a uma regulamentação do governo da Bolívia, o preço do combustível para estrangeiros é diferente do cobrado aos bolivianos. O preço para estrangeiros é de 8,68 bolivianos (R$3,37) o litro, enquanto que para os bolivianos custa 3,74 bolivianos (R$1,45). E para vender combustível para os estrangeiros é preciso de um recibo, que a maioria dos postos não têm. Acabamos tendo que abastecer em uma mercearia (tienda) à beira da estrada. O dono do estabelecimento nos vendeu 30 litros ao custo de 8 bolivianos cada (cerca de R$3,11). Assim que começamos a abastecer, apareceram vários outros estrangeiros a procura de gasolina. Para descobrir quais mercearias vendem combustível, basta prestar atenção se existem tunéis de combustível na frente do estabelecimento ou garrafas de óleo de motor. Acreditamos que este tipo de comércio seja proibido, por isso os comerciantes não colocam placas indicativas. Outra forma é ir parando e perguntando às pessoas onde pode-se comprar combustível. Nossa dica na Bolívia é abastecer sempre que o tanque chegar na metade, evitando assim maiores problemas.

Encontre o Viajando de Carro nas redes sociais:

Curta a Fanpage do Viajando de Carro no Facebook e acompanhe as notícias sobre todas as viagens que realizamos de carro. 

Nos siga no Instagram @blogviajandodecarro e curta as fotografias que tiramos durante as nossas viagens.

Veja as nossas fotografias no Flickr.

Nos acompanhe no Twiter: @viajedecarro.

3 respostas
  1. Wellington Melo
    Wellington Melo says:

    Caros,
    Acompanho as postagens de vocês sempre!!! Parabéns pela iniciativa do site e pelas viagens!
    Estou me preparando para fazer a primeira viagem desse tipo, com minha esposa e mais um casal. Vamos fazer uma viagem de 20 dias, saindo do Rio de Janeiro e indo para o Chile, passando por Uruguai e Argentina. Vi que no Chile a gasolina é vendida por uns números que passarem remeter à octanagem. Vocês abasteceram com qual? 93, 95, 97…?
    Ah, além das postagens no blog, se vocês tiverem mais algumas dicas será muito bemvindo!!!

    Abraços,

    Responder
  2. Paulo Martinelli
    Paulo Martinelli says:

    Alexandre: Você saiu de férias, reclamar de que ??? Nada de que você viu existe aqui. Vai de novo em 2016 e reclame outra vez que estarei com inveja das suas indignações. Em 2016 irei para o Peru. Se a gasolina estiver a R$ 8,00 quero pagar e contar para você. Continue viajando com a família e os filhos. Felicidades. Um dia irei te conhecer na sua cidade. Sou um amante de viagens também pela America do Sul. Planeje a próxima e poste !!!!!

    Responder
    • Alexandre Souza
      Alexandre Souza says:

      Olá Paulo
      Tens toda a razão. Na verdade estamos até bem acostumados com as dificuldades encontradas nas viagens que fazemos. Consideramos todas elas como características de cada país e vamos aprendendo e nos adaptando as mesmas.
      Os desafios de cada viagem tornam as mesmas ainda mais especiais.
      No entanto gostamos sempre de relatar as mesmas para que nossos leitores estejam sempre preparados.
      Será um prazer recebê-lo caso queiras vir aqui a Pelotas conversar conosco.
      Desejamos que tenhas uma ótima viagem no próximo ano. Com certeza o Peru é um país encantador.

      Curta nossa fan page no Facebook:
      https://www.facebook.com/blogviajandodecarro

      Um abraço
      Alexandre, Rosângela, Felipe e Isabela

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *