A compra do nosso novo carro: Chevrolet S10 LTZ

Após a nossa decisão de trocar de carro, precisávamos definir qual seria o modelo mais adequado para as nossas aventuras. Nós tínhamos um consórcio automotivo e até sermos contemplados foi uma infinidade de ideias que passaram pela nossa cabeça. Mas, após decidirmos fazer uma mudança radical na forma de viajarmos daqui para frente, definimos que teria que ser uma pick-up. Outra decisão que tomamos é que não compraríamos um carro zero quilômetro e sim uma camionete seminova para amortizar um pouco a desvalorização.

Durante as nossas pesquisas em busca do nosso novo carro focamos direto na Chevrolet S10. Pode até parecer, mas não somos patrocinados pela Chevrolet. No entanto, como é bem perceptível, temos uma grande afinidade com a marca.

DSC_5291

Nosso novo carro: Chevrolet S10 LTZ 2.4 FlexPower 4×2 CD 2014

Como aspectos que nortearam a nossa decisão, podemos citar que consideramos a S10 uma camionete bonita e que possui, no caso da versão LTZ, um bom número de acessórios. Estes aspectos favorecem um maior conforto, comodidade e segurança. Além disso, há uma vasta rede de concessionárias, facilidade de conseguir as peças e a S10 é líder de vendas da categoria (característica que facilita a revenda). Enfim, consideramos que ela apresenta um bom custo-benefício em relação as demais pick-ups.

DSC_5254

Primeira voltinha na praia do Laranjal em Pelotas/RS

IMG_9298

Primeira viagem em família com o carro novo (serra gaúcha)

IMG_9286

Primeira viagem em família com o carro novo

IMG_9302

Chevrolet S10 viajando pela Rota Romântica – BR 116

DSC_5293

Alexandre e seu novo carro

Após um ampla pesquisa entre os modelos disponíveis, optamos por uma S10 LTZ 2.4 FlexPower 4×2 CD 2014. Ela foi comprada 0 km em dezembro de 2014, ou seja, atualmente possui 1 ano e 4 meses de uso e está com 20 mil km rodados. Optamos pelo modelo flex pelo menor custo da camionete, menor valor do seguro e menor custo de manutenção. No entanto, a desvantagem será o maior custo de combustível por quilômetro rodado e a menor potência e torque do motor relação ao carro a diesel.

O negócio foi feito por meio da OLX e entregamos o Prisma como parte do pagamento.

Depois de pegarmos a camionete fizemos a revisão dos 20 mil km na concessionária, onde foi comprovado que o carro estava realmente impecável. Optamos por fazer a revisão na concessionária para manter a garantia do carro por mais 1 ano e meio.

IMG_9238

Negociando a S10

IMG_9242

Fazendo a vistoria do seguro

IMG_9243

Abastecendo pela primeira vez o tanque de 80 litros! Aqui no RS custa cerca de R$328,00.

IMG_9267

Revisão dos 20 mil km da Chevrolet S10 na concessionária

IMG_9262

Revisão da Chevrolet S10 na concessionária

Como nem tudo são flores, já sentimos o primeiro baque em relação ao custo da manutenção em relação ao carro popular. No entanto, já sabíamos disso. Mas é o preço que se paga para ter um carro com mais conforto.

Curta a Fanpage do Viajando de Carro no Facebook e acompanhe as notícias sobre todas as viagens que realizamos de carro.

Nos siga no Instagram @blogviajandodecarro e curta as fotografias que tiramos durante as nossas viagens.

Veja as nossas fotografias no Flickr.

Nos acompanhe no Twiter: @viajedecarro.

16 respostas
  1. David
    David says:

    Sensacional, vocês são demais… inspiram qualquer cidadão a entrar nessa aventura. POR FAVOR, duas dúvidas – roubos no percurso e problemas de manutenção do veículo, como furo de pneu, pane elétrica, pane geral etc.. alguma notícia???

    Responder
    • Alexandre Souza
      Alexandre Souza says:

      Olá Amandus
      Como também compramos um camper, tínhamos que optar por uma pickup de custo menor. Mas temos certeza que a falta da tração 4×4 irá limitar muito pouco nossas viagens.
      Com um carro hatch ou sedan já dá para aproveitar bastante as belezas de nosso continente.
      Um abraço
      Alexandre, Rosângela, Felipe e Isabela

      Responder
  2. Rafael
    Rafael says:

    Se de Prisma e Classic a América do Sul já ficou pequena, com Atacama, Bolívia e Peru…imagino com esse belíssimo carro!

    Como fã e leitor assíduo do site, fico feliz pela conquista de vocÊs!

    Que venham novos passeios!

    Ps: Com quantos kms rodados o Prima foi embora???

    Responder
    • Rosângela Souza
      Rosângela Souza says:

      Olá Thiago!
      Muito obrigada! Agradecemos também pela sua visita ao nosso blog!

      Grande abraço,
      Rosângela, Alexandre, Felipe e Isabela.

      Responder
  3. Wilson Vasconcellos
    Wilson Vasconcellos says:

    Há tempos acompanho o site de vocês.
    Ainda que nem tudo sejam flores, a escolha do carro foi excelente. Também gosto muito da Chevrolet, pelas facilidades que você citou.
    Parabéns pela a aquisição e que Deus continue abençoando a família de vocês, nas viagens e na vida!
    Saudações!
    Wilson

    Responder
    • Wilson Vasconcellos
      Wilson Vasconcellos says:

      Alexandre,

      Aproveitando a oportunidade, você poderia me informar quantos litros o carro de vocês está fazendo na estrada? Com álcool e gasolina.

      Obrigado.

      Saudações!

      Wilson

      Responder
      • Rosângela Souza
        Rosângela Souza says:

        Olá Wilson!
        Na estrada, com gasolina está fazendo entre 9 e 9,5. Na cidade entre 6,5 e 7. Ainda não utilizamos álcool.

        Um grande abraço,
        Rosângela, Alexandre, Felipe e Isabela

        Responder
  4. Jackson Lincoln
    Jackson Lincoln says:

    Parabéns pelo novo carro. Com certeza irão a lugares ainda mais longe.
    Acompanho o site há algum tempo já.
    Estou colhendo o máximo de relatos.
    Já devo ter lido algumas páginas umas 10x.
    Vou fazer minha primeira viagem no final desse ano saindo de Maringá (casa dos meus pais) a Foz do Iguaçu/Porto Iguazu, passando por Resistência, Cordoba, Rafaela, Mendoza até chegar a Viña del Mar. Depois voltaremos por Santiago, Mendoza, Buenos Aires, Montevideu, Punta del Este, Pelotas, Gramado, Ponta Grossa (onde moramos) e chegando ao norte do PR de novo.
    Vamos a bordo de um New Fiesta 2014. Meu maior receio ainda continua sendo quanto a corrupção da polícia por Corrientes/Resitência e de como levar o dinheiro, em esécie ou cartões.
    Obrigado por todas as dicas.

    Responder
    • Rosângela Souza
      Rosângela Souza says:

      Olá Jackson!
      Que legal que o nosso blog esteja sendo útil para a realização da sua viagem. Quanto a corrupção a nossa dica é procurar estar em conformidade com as leis de trânsito do país. Podes levá-las impressas e apresentá-las para afirmar que estás correto agindo dentro da lei, caso necessário. Importante, por exemplo, não ultrapassar os limites de velocidade, andar com os faróis acesos, etc. Procure levar poucos pesos dentro da carteira para, em caso de necessidade, entregar pouco dinheiro aos policias. Outra dica é levares impresso um documento para registro de incidentes. É útil para atestar a veracidade das ocorrências. Caso não seja uma ocorrência verdadeira, possivelmente irá intimidar o policial. Esta disponível para donwload neste link https://drive.google.com/file/d/0B26bNjNj3n0abjZ0TkJEajJzelk/view?usp=sharing .

      Nós não costumamos levar muito dinheiro em espécie, no entanto na Argentina é mais vantajoso levar o dinheiro e realizar o câmbio informal (desde que de forma segura por indicação de alguém, por exemplo), pois a cotação oficial esta bem distorcida. Veja mais detalhes neste post http://viajandodecarro.com.br/dica-sobre-dinheiro-para-quem-esta-indo-para-a-argentina/. Geralmente levamos um pouco de dinheiro em espécie e na fronteira fazemos o câmbio. No mais tentamos pagar tudo com cartão de crédito e realizamos saques na moeda local com o cartão de débito. Desta forma, pagamos mais taxas, no entanto consideramos mais seguro do que levar todo o dinheiro em espécie. O dinheiro que levares procure distribuir e colocar dividido em vários lugares da sua bagagem. Espero ter auxiliado de alguma forma.

      Um grande abraço,
      Rosângela, Alexandre, Felipe e Isabela.

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *