Dia 21 (22/01/12) – El Calafate/Argentina

Saída: El Calafate/Argentina – Km 7125 (16:00h)
Chegada: El Calafate/Argentina – Km 7285 (22:30h)
Distância: 160Km

Descansamos no hotel durante toda a manhã. No início da tarde compramos um lanche e fomos fazer a tão esperada visita ao Glaciar Perito Moreno.  Este Glaciar esta localizado na parte sul do Parque Nacional Los Glaciares, um dos maiores parques da Argentina.  O parque tem quase metade da sua área coberta por mais de 350 geleiras.

Antes de ir ao parque, passamos no centro de informações turísticas que fica próximo ao terminal de ônibus. Infelizmente a atendente não foi muito simpática e tão pouco atenciosa em nos informar as possibilidades de passeios da região. Ela indicou que os únicos passeios possíveis para se fazer de carro, de forma independente, era a visita ao glaciar, ao Lago Roca e ponto final. Nos entregou um mapa da cidade e adeus. Isto que ela tinha acabado de chegar para o seu turno de trabalho.

Para chegar no Glaciar Perito Moreno, a partir de El Calafate, basta seguir pela avenida Del Libertador, que na sequência passa a se chamar RP11. Segue-se por ela até o glaciar. A estrada está toda asfaltada e em condições muito boas.

O dia estava lindo e ensolarado, o que contribuiu muito com as belíssimas paisagens descortinadas no percurso entre a El Calafate e a geleira Perito Moreno. As paisagens por este caminho são tão bonitas que apenas fazer este trajeto já vale a viagem. A temperatura também estava muito agradável, podendo-se usar roupas curtas.

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Paisagens da ruta 11 em direção ao Glaciar Perito Moreno

Após 76km chegamos a entrada do parque, onde pagamos PA$70,00 (R$28,00) por pessoa.

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

Entrada do Parque Nacional Los Glaciares

Antes de chegar ao acesso à geleira, após alguns quilômentros da portaria, há sanitários e um local próprio para fazer churrasco ou pic-nic. Local arborizado e muito agradável, ideal para ir cedo para, além de conhecer as geleiras, fazer um lanche e descansar.

Seguindo adiante há alguns mirantes no caminho, de onde é possível avistar as geleiras de longe. Em alguns destes mirantes o vento era bastante forte, onde tivemos que colocar roupas mais quentes.

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Vista do glaciar a partir de um dos mirantes dentro do parque

Depois de rodarmos mais alguns poucos quilômetros chegamos ao estacionamento. Neste local há um centro de visitantes com restaurantes, sanitários (com local para trocar o bebê) e lojinha de lembranças. Deste ponto se acessa as passarelas que levam à geleira.

A estrutura do parque para visitar as geleiras é muito boa. Logo no início das passarelas há um mapa indicando os setores e percursos disponíveis, onde consta a duração e dificuldade dos mesmos. Há aproximadamente 3km de passarelas, de onde se pode chegar bem próximo a geleira Perito Moreno. Nas passarelas há muitas escadas, não sendo apropriado levar o carrinho de bebê. Para os cadeirantes há um elevador que ajuda em parte do percurso.

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

Lago Argentino

Lago Argentino

Glaciar Perito Moreno

Glaciar Perito Moreno

O Perito Moreno é o mais famoso e espetacular glaciar do continente e provavelmente do mundo.  Tem uma superfície de 250km2, sendo considerada a terceira maior área de gelo do planeta após a Antártica e o Polo Norte.

Este passeio foi com certeza um dos pontos altos de nossa viagem. É impressionante ficar observando aquela enorme geleira. Foi emocionante ver o gelo se desprendendo, que por menor que seja o desprendimento de gelo, faz um estrondo enorme. A paisagem é tão espetacular que não dá vontade de ir embora. Queríamos ficar ali admirando por horas, pena que não chegamos mais cedo.

Em relação a temperatura, em alguns pontos fazia um pouco mais de frio devido ao vento, o que fez com que nos abrigássemos com jaquetas. Mas no geral estava com uma temperatura amena e agradável. Haviam pessoas vestidas com as mais variadas roupas, desde roupas curtas (inclusive crianças) até jaquetões com toucas. Vai da sensibilidade ao frio de cada um.

Há um pequeno porto antes de chegar as passarelas, de onde é possível realizar um passeio de barco com duração de 1 hora e custo de PA$70,00 (R$28,00). Este passeio se aproxima bastante do glaciar Perito Moreno, mas como não o realizamos, não temos maiores informações sobre o mesmo. Para os mais aventureiros, há possibilidade de fazer trekking no glaciar. Para maiores informações consulte os guardaparques ou o centro de informações turísticas de El Calafate.

Retornamos a El Calafate pelo mesmo caminho e fomos direto ao hotel. Resolvemos jantar no restaurante do hotel, mas não gostamos muito. No menu haviam somente duas opções: massa com molho de tomate ou molho branco. Cansados e sem ânimo para sair e procurarmos outro restaurante, comemos ali mesmo.

Saindo do Parque Nacional Los Glaciares

Saindo do Parque Nacional Los Glaciares

El Calafate

El Calafate

Dia 20 (21/01/12) – Puerto Natales/Chile –> El Calafate/Argentina (Paso Dorotéa)

Saída: Puerto Natales/Chile – Km 6754 (14:00h)
Chegada: El Calafate/Argentina – Km 7121 (21:00h)
Distância: 367Km

Hoje partimos para a Argentina novamente. Vamos para a cidade El Calafate conhecer o Glaciar Perito Moreno. Saímos às 14h de Puerto Natales.

Para seguir até El Calafate é necessário entrar na Argentina novamente. Próximo a Puerto Natales existem três pasos:

  • Paso Rio Don Guillermo: mais ao norte, 65Km, em Cerro Castillo pela ruta Y-205;
  • Paso Dorotéa: 24km, próximo a Villa Dorotéa e ao povoado de Río Turbio pela ruta 250;
  • Paso Laurita – Casas Viejas: mais ao sul, 18km, próximo ao povoado de 28 de Noviembre, pela ruta Y-325.

Todos os 3 caminhos levam até a ruta 40 na Argentina. A melhor rota é através do paso Dorotéa, que está localizado entre os outros 2 pasos, onde toda a estrada é asfaltada. Os outros 2 pasos possuem estradas de rípio. O Projeto Mapear informa incorretamente que a estrada (ruta 250) pelo paso Dorotéa, que liga a ruta 9 (no Chile) a 40 (na Argentina), não está asfaltada.

Pasos Argentina/Chile próximos a Puerto Natales (a rota correta está grifada em rosa com setas vermelhas).

Pasos Argentina/Chile próximos a Puerto Natales (a rota correta está grifada em rosa com setas vermelhas).

Para ir até El Calafate, saindo de Puerto Natales, pega-se a ruta 9 em sentido sul (em direção a Punta Arenas) por 10km. Dobra-se então à esquerda na ruta 250 por mais 14km até o Paso Internacional Dorotéa (localizado junto a Villa Dorotéa). Do outro lado da fronteira, a ruta passa a ser chamada de avenida de Los Mineros.  Segue por 13km, (passando pelo  povoado de Río Turbio) até a ruta 40, onde entra-se à esquerda. Anda-se mais 73km pela ruta 40 até Tapi Aike. Neste ponto há um entroncamento, onde deve-se pegar a ruta RP7 por mais 79km até Esperanza, pois a continuação da ruta 40 é em rípio. Em Esperanza toma-se a ruta 5 ao norte, por 69km, até encontrar novamente a ruta 40. Segue-se por mais 62km até o encontro da ruta RP11, por onde anda-se mais 32km até El Calafate. Todo o percurso de 352km, entre Puerto Natales e El Calafate, é feito em asfalto em boas condições, passando por belas paisagens.

Caminho de Puerto Natales a El Calafate - MapSource (a rota correta está grifada em rosa com setas vermelhas).

Caminho de Puerto Natales a El Calafate – MapSource (a rota correta está grifada em rosa com setas vermelhas).

Caminho de Puerto Natales a El Calafate - Google Maps (a rota correta está grifada em azul).

Caminho de Puerto Natales a El Calafate – Google Maps (a rota correta está grifada em azul).

Os trâmites na aduana chilena duraram cerca de 15 minutos. Na aduana argentina, poucos quilômetros a frente, levamos mais 30 minutos para a entrada no país. Na revista do carro, o aduaneiro solicitou fazer a revista no porta-malas, onde ele abriu somente a caixa térmica e perguntou o que havia no interior das malas. Perguntou também o que havia no baú de teto, não solicitando que o mesmo fosse aberto.

O fluxo de veículos é baixo e há postos de combustíveis em Rio Turbio e Esperanza. Em Rio Turbio há ao menos um banco. Abastecemos em Esperanza onde havia uma pequena fila.  Em Esperanza há um restaurante em frente ao posto de combustíveis. No posto há também uma lancheria.

Ruta 40 na Argentina

Ruta 40 na Argentina

Cordilheira dos Andes ao fundo

Cordilheira dos Andes ao fundo

As paisagens deste caminho são muito belas com vegetação rasteira e montanhas nevadas ao fundo. Um ponto em especial é o mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez (65km antes de El Calafate), onde as paisagens são de tirar o fôlego de tão espetaculares. Neste ponto a altitude é em torno de 820m e consegue-se contemplar a Cordilheira dos Andes ao fundo. Logo após baixa até  a altitude de 280m em 11km.

Paisagens espetaculares vistas do mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez (a foto não consegue mostrar a beleza deste lugar) - PARADA IMPERDÍVEL!

Paisagens espetaculares vistas do mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez (a foto não consegue mostrar a beleza deste lugar) – PARADA IMPERDÍVEL!

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

O Felipe resolver dar uma voltinha em uma moto de um grupo que estava vindo da Venezuela

O Felipe resolver dar uma voltinha em uma moto de um grupo que estava vindo da Venezuela

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

Mirante El “Monito” na Cuesta de Miguez

Continuamos viagem ainda na presença de belíssimas paisagens. A chegada a El Calafate é composta de um lindo cenário de montanhas nevadas, banhadas pelo Lago Argentino.

Chegando a El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

Chegando a El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

Chegando a El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

Chegando a El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

El Calafate (Lago Argentino ao fundo)

Logo que chegamos a cidade fomos direto ao hotel, o qual já havíamos reservado previamente através do site Booking.com. Fizemos o check in e saímos para abastecer o carro.

Tentamos ir ao centro de informações turísticas, porém já estava fechado. Na cidade há dois centros de informações turísticas, os quais tem horário de funcionamento das 8 às 20h.

Fomos a algumas agências, onde nos informarmos sobre os passeios de barco. Descobrimos que para o próximo dia os passeios já estavam lotados. Após uma rápida pesquisa nas agências que estavam abertas, resolvemos contratar o passeio para daqui a 2 dias, antes que não tivesse mais vagas disponíveis. Contratamos o passeio na agência Cal Tur (Av. Del Libertador, 1080).

Há duas possibilidades de passeios: Rios de Hielo e Todos los Glaciares.  O custo por pessoa do Rios de Hielo é de PA$295,00 (R$118,00), enquanto o Todos los Glaciares é de PA$450 (R$180,00)  – ambos preços sem transfer, saindo do Puerto Punta Bandera.  É ainda necessário pagar mais PA$70,00 (R$28,00) por pessoa referente a entrada do parque, pago diretamente no porto.

Ambos os passeios tem a mesma duração. Embora o Rios de Hielo tenha um menor percurso, o catamaran que o realiza é mais lento.

Como estamos de carro, optamos pelo passeio sem o transfer até o porto Punta Bandera. Caso seja necessário o transfer paga-se mais PA$50,00 (R$20,00) por pessoa.

Os passeios saem às 9:00h do porto e retornam às 16:00h. Portanto são 7h de duração, sendo necessário levar lanches para fazer durante o passeio. Há venda de bebidas quentes e frias no barco, porém os preços devem ser bem salgados, assim como o passeio.

A avenida principal (Del Libertador Gral San Martin) estava bastante movimentada, repleta de turistas de todo o mundo. Nesta avenida, e também em suas ruas transversais, há muitos restaurantes, lojas (principalmente de lembranças e artesanatos), agências de turismo, bancos, lojas para câmbio, locutórios, entre outros tipos de comércio.

A Hosteria Lupama, onde ficamos hospedados, fica logo na entrada da cidade. É uma boa pousada, com ótimas acomodações. Oferece café da manhã completo, wi-fi, TV, quarto aquecido e possui um restaurante. O estacionamento é na rua ao lado do hotel, porém é bastante seguro.

Nesta hosteria não é permitida a entrada de alimentos e bebidas. É possível entrar somente com água. A infração desta regra gera uma multa de 15 dólares. Portanto nossa geladeira automotiva deve de ficar no carro. Sempre a ligamos nos hotéis para manter sempre nossas bebidas e alimentos gelados. Desta vez tivemos que desativá-la. Esta regra não nos agradou muito, mas normas são normas. O ambiente desta hosteria, como pode-se ver, não é muito familiar. Pelo contrário, é tudo muito formal. Preferimos ambientes mais familiares, onde podemos nos sentir um pouquinho em casa e termos mais  liberdade.

Jantamos em um restaurante que nos foi indicado pela atendente da Cal Tur e fomos para o hotel descansar.

Dia 19 – 20/01/12 (Puerto Natales)

Saída: Puerto Natales/Chile – Km 6754
Chegada: Puerto Natales/Chile – Km 6754
Distância: 0Km (passeio a pé pela cidade)

Hoje o dia foi bastante light. Aproveitamos para descansar bastante. No meio da tarde, após nosso merecido descanso no hotel, saímos para darmos umas voltas a pé pela cidade.

Que preguiça! Vou dormir só mais um pouquinho. ZZZzzZZZzz

Que preguiça! Vou dormir só mais um pouquinho. ZZZzzZZZzz

Fomos a uma feira de artesanato que fica localizada próxima ao supermercado Unimarc. Esta feira é feita em uma galeria, onde há algumas lojinhas vendendo alguns itens artesanais feitos localmente. Você poderá encontrar toucas, mantas, miniaturas (ovelhas, milodon e de pinguins), jóias, além de variados tipos de lembrancinhas.

Após fomos dar uma volta na avenida Costanera Pedro Montt, a qual margeia o canal Última Esperanza. Fizemos uma longa caminhada e aproveitamos para ir até a estátua do Milodon, situada na entrada da cidade. A estátua possui o tamanho original do animal e dá as boas vindas aos que chegam a Puerto Natales. Já tínhamos passado várias vezes pelo local, mas ainda não tínhamos parado para fotografar. Como não fomos conhecer a gruta (Cueva del Milodón) onde ele foi originalmente encontrado, ao menos tiramos algumas fotos do monumento do animal.

Canal Última Esperanza

Canal Última Esperanza

Milodón

Milodón

Canal Última Esperanza

Canal Última Esperanza

O Milodon é um dos símbolos de Puerto Natales e foi encontrado em 1895 pelo alemão Hermann Eberhard. O explorador, ao entrar em grande gruta, encontrou um pedaço de pele de um animal desconhecido até o momento, o qual foi chamado posteriormente de Milodón. Este é considerado um dos achados arqueológicos mais importantes da Patagônia. A gruta está localizada a 24km ao noroeste de Puerto Natales e é conhecida como Cueva del Milodón. A caverna possui 30 metros de altura, 80 metros de largura e 200 metros de profundidade e foi escavada naturalmente pelas águas de um lago que existiu na área. Os estudos mostraram que o animal foi um mamífero extinto há cerca de dez mil anos e se assemelhava a um enorme urso (ou uma preguiça gigante). O animal podia andar sobre quatro patas, ou apenas em duas, apoiando-se em sua grossa cauda. Acredita-se que era contemporâneo dos dinossauros, herbívoro e provavelmente domesticável.

Bem próximo dali há a escultura de uma mão com os dedos saindo do chão, semelhante as existentes em Antofogasta, no Chile, e em Punta del Este, no Uruguai. Bem interessante para fotografar.

Escultura de uma mão com os dedos saindo do chão (semelhante as existentes em Antofogasta, no Chile, e em Punta del Este, no Uruguai)

Escultura de uma mão com os dedos saindo do chão (semelhante as existentes em Antofogasta, no Chile, e em Punta del Este, no Uruguai)

Ruas de Puerto Natales

Ruas de Puerto Natales

Continuamos nossa caminhada pela costaneira onde fotografamos os cisnes de pescoço preto no canal Última Esperanza.

Depois fomos jantar no restaurante La Picada de Carlitos, que fica localizado bem próximo ao hotel. Comemos uma deliciosa chorrillana para nos despedirmos deste belo país que é o Chile. Sempre que estamos no Chile aproveitamos para comer este saboroso prato, muito tradicional no país.

Dia 18 – 19/01/12 (Puerto Natales – Parque Torres del Paine)

Saída: Puerto Natales/Chile – Km 6465 (14:00h)
Chegada: Puerto Natales/Chile – Km 6749 (23:00h)
Distância: 284Km

Hoje acordamos e vimos que o dia estava ensolarado e com céu limpo. Com sorte conseguiremos ver uma paisagem diferente no Parque Torres del Paine. Mesmo com o dia bonito ainda precisamos de sorte, pois nesta região o tempo muda de uma hora para outra. Portanto ainda corremos o risco do tempo nublar até chegarmos ao parque.

Já na saída de Puerto Natales contemplamos uma bela paisagem na costaneira da cidade. Pudemos ter uma prévia de que as paisagens que veríamos hoje seriam deslumbrantes. O tempo estava um pouco ventoso, mas mesmo assim a temperatura estava amena e agradável.

Canal Última Esperanza

Canal Última Esperanza

Dia perfeito para passear no parque!

Dia perfeito para passear no parque!

Seguimos com destino ao parque. Desta vez optamos em acessá-lo pela parte sul, entrando pela Guarderia Rio Serrano.  Desta forma iremos percorrer o mesmo caminho que fizemos ontem, porém em sentido contrário.

No início deste caminho, o mesmo que realizamos para voltarmos a Puerto Natales no dia anterior, há vários mirantes de onde se pode apreciar as belas paisagens do parque. Felizmente o dia continuava com o céu limpo e ensolarado, permitindo uma boa visualização das montanhas. Passamos pelo Mirador Lago, distante 70km de Puerto Natales; Mirador Grey, distante 73km (nos pareceu ter a melhor vista) e Mirador Cuernos del Paine, distante 75km.

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Belas paisagens pelo caminho em direção a guarderia Rio Serrano

Mirantes na estrada a caminho do parque

Mirantes na estrada a caminho do parque

Mirantes na estrada a caminho do parque

Mirantes na estrada a caminho do parque

Mirantes na estrada a caminho do parque

Mirantes na estrada a caminho do parque

Na entrada da guarderia Rio Serrano nos foi solicitado os tickets, através dos quais confirmaram que já havíamos pago pelo período de três dias de acesso ao parque. Nesta guarderia há sanitários com água quente e fria e local para trocar o bebê.

As paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano são incríveis. O dia permaneceu ensolarado durante todo o nosso dia de passeio. Com certeza valeu a pena fazer o mesmo caminho em sentido contrário, pois se tem uma vista muito diferente do que vimos no dia anterior.

DSC_3065

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Paisagens vistas desde a guarderia Rio Serrano

Que ótimo passeio, mamãe!

Que ótimo passeio, mamãe!

Percorrendo as estradas do parque

Percorrendo as estradas do parque

Percorrendo as estradas do parque

Percorrendo as estradas do parque

A beleza que vimos próximo ao Lago Pehoe, com as torres ao fundo, são indescritíveis. Só estando lá para poder entender tanta perfeição. As montanhas estavam perfeitamente visíveis, o que acontece raramente. Tivemos muita sorte neste dia!

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Belas paisagens do Parque Torres del Paine

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Hosteria Pehoé - Que tal se hospedar aqui? http://www.pehoe.cl/

Hosteria Pehoé – Que tal se hospedar aqui? http://www.pehoe.cl/

Desta vez resolvemos sair pela guarderia Lago Sarmiento. Depois que chegamos a estrada principal, resolvemos retornar até a guarderia Laguna Amarga para revermos as paisagens vistas ontem, porém com um tempo melhor. Desta vez, devido ao bom tempo, do lago conseguimos ter uma bela visão das torres, que continuavam totalmente descobertas.

Grupo do motociclistas passeando pelo parque

Grupo do motociclistas passeando pelo parque

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Próximo a guarderia Laguna Amarga há um caminho que leva até a Cascata Paine. Da cascata seguimos até a Laguna Azul. No caminho vimos sinais de outro incêndio no parque que ocorreu há alguns anos atrás. O Felipe aproveitou para tirar algumas fotos com um grupo de guanacos que pastava tranquilamente próximos a estrada.

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Lago Sarmiento

Lago Sarmiento

Lago Sarmiento

Lago Sarmiento

Pelo caminho...

Pelo caminho…

Cascata Paine

Cascata Paine

Cascata Paine

Cascata Paine

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Vista das torres desde a guarderia Lago Sarmiento

Lago Sarmiento

Lago Sarmiento

Das margens da Laguna Azul ficamos admirando um belo pôr do sol, com as torres de fundo. Havia um motor home, vindo da Alemanha, estacionado próximo ao lago.

Pôr do sol na Laguna Azul

Pôr do sol na Laguna Azul

Pôr do sol na Laguna Azul

Pôr do sol na Laguna Azul

Pôr do sol na Laguna Azul

Pôr do sol na Laguna Azul

Retornamos então até a estrada principal e fomos em direção a Puerto Natales.

Pôr do sol no parque

Pôr do sol no parque

Até agora, este foi o dia em que vimos as mais belas paisagens desta viagem.

Dia 17 – 18/01/12 (Puerto Natales – Parque Torres del Paine)

Saída: Puerto Natales/Chile – Km 6172 (13:00h)
Chegada: Puerto Natales/Chile – Km 6447 (23:00h)
Distância: 275Km

Hoje fomos visitar o famoso Parque Torres del Paine. Este parque é considerado uma das maiores atrações da América do Sul e, com certeza, um dos pontos altos de nossa viagem. Tínhamos vontade de conhecê-lo desde nossa primeira aventura pela Argentina e Chile.

Felipe curtindo o passeio até o parque.

Felipe curtindo o passeio até o parque.

O tempo não estava muito bom. Teve um pouco de sol, mas passou boa parte do tempo nublado e choveu em alguns momentos.

Para chegar no parque segue-se pela ruta 9 (asfaltada) até Cerro Castillo. As estradas até este ponto estão em condições muito boas.

Em Cerro Castillo pega-se a entrada à esquerda do trevo, seguindo por mais alguns quilômetros de asfalto, onde há alguns buracos, os quais estão sendo consertados. Mais adiante há uma bifurcação, onde pode-se optar por entrar no parque pela Laguna Amarga ou Lago Sarmiento. Há placas indicando estas opções. Nós optamos por entrar pela Laguna Amarga.

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Ruta 9 em direção a Torres del Paine

Na ida para o parque nosso carro, Chevrolet Prisma, completou 100 mil quilômetros muito bem rodados. Este é o guerreiro que nos acompanhou em todas as viagens registradas neste site até o momento.

Da estrada, chegando próximo ao parque, já é possível avistar as torres. Como o tempo estava nublado, não tínhamos a visão total dos picos.

Da estrada já é possível avistar as torres

Da estrada já é possível avistar as torres

Fazendo um lanchinho

Fazendo um lanchinho

Chegamos então a portaria Laguna Amarga, que é uma das entradas do parque, onde nos foi cobrado PC$15000,00 por pessoa. Este valor dá o direito a entrar no parque durante três dias consecutivos.  Mesmo que você queira passear apenas por um dia, o valor é o mesmo. Nos entregaram um mapa e nos deram algumas orientações de como percorrê-lo. O guardaparque também nos alertou sobre as áreas atingidas pelo incêndio que ocorreu no parque em dezembro/2011, o qual o manteve fechado por alguns dias.

Laguna Amarga

Laguna Amarga

O parque é enorme e se consegue percorrer grande parte do mesmo através de suas estradas internas, todas de rípio.

Seguimos então de carro por dentro do parque, passando pelo refugio Laguna Amarga, Lago Nordenskjold, Refugio Pudeto e Laguna Las Mellizas.

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Parque Torres del Paine

Próximo ao Lago Pehoé conseguimos ver a devastação causada pelo incêndio. Boa parte da vegetação deste local foi destruída pelo fogo.

Devastação causada pelo incêndio no parque

Devastação causada pelo incêndio no parque

Devastação causada pelo incêndio no parque

Devastação causada pelo incêndio no parque

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Lago Pehoé

Alguns quilômetros após a Hosteria Pehoé, localizada às margens do lago homônimo, fica o acesso ao Lago Gray. Há uma bifurcação à direita na estrada principal que leva ao lago (distante 18km). No final deste desvio você pode entrar à direita, por onde se acesso o Hotel Lago Grey, ou seguir por mais alguns metros até o estacionamento, onde começa a trilha para o mirante do lago Grey. Esta trilha tem duração de aproximadamente 60 minutos (ida e volta), de onde se pode se avistar o Glaciar Gray. Próximo ao estacionamento, há um centro de informações e sanitários.

Lago Grey

Lago Grey

Gelo no Lago Grey desprendidos do glaciar homônimo

Gelo no Lago Grey desprendidos do glaciar homônimo

Lago Grey

Lago Grey

Glaciar Grey visto do Hotel Lago Grey

Glaciar Grey visto do Hotel Lago Grey

Após percorrer o trecho inicial da trilha chega-se ao cais, local de partida para o passeio no lago de onde se vê o glaciar de perto. Parte da trilha é uma faixa de areia que corta o lago, pela qual pode-se seguir caminhando até próximo a uma ilha de onde é possível avistar o glaciar ao longe.

Para quem quer fazer o passeio de barco, é através desta trilha que se tem o acesso para o embarque. O passeio de barco deve ser previamente contratado no hotel do lago Grey ou através do site http://www.lagogrey.cl/. O passeio custa PC$40000,00 (em torno de R$150,00). É um passeio muito procurado durante a alta temporada. Caso você queira fazê-lo, deve-se agendá-lo com no mínimo dois ou três dias de antecedência.

As estradas de ripio no interior do parque estão praticamente todas em condições razoáveis. Há alguns trechos com muitas pedras e costeletas de boi, onde o carro vibra tanto que parece que vai soltar as peças.

Saímos do parque pela portaria Serrano. Apesar do nosso livro de viagem indicar que esta saída (ruta Y290) é restrita a carros 4×4, as condições da estrada é semelhante as demais portarias. Esta estrada encontra a ruta 9 novamente. Desta bifurcação são 16km até Puerto Natales. A ruta Y290 no projeto Mapear está com o nome Y260. A ruta Y290 passa pelo acesso a Cueva del Milodón.

O caminho pela portaria Serrano passa por vários mirantes. O tempo nublado e chuvoso não estava favorecendo muito a contemplação das belas paisagens do parque.

Paisagens na saída pela portaria Serrano

Paisagens na saída pela portaria Serrano

Paisagens na saída pela portaria Serrano

Paisagens na saída pela portaria Serrano

Apesar do incêndio ter destruído 12 mil hectares da vegetação, o parque é tão grande (242 mil hectares) que ainda há muitas belas paisagens para contemplar. Novamente, a causa do incêndio foi a imprudência de turistas, um problema recorrente neste lugar único e espetacular.

Amanhã estamos programados para voltar ao Parque Torres del Paine, percorrendo o mesmo caminho em sentido contrário.

Com a família na estrada por 50 países

Volta ao mundo de carro com a família (Crédito: Thiago Andrade)

Volta ao mundo de carro com a família (Crédito: Thiago Andrade)

Olá viajantes

Que tal tal viajar de carro com toda a família por 50 países? Pois é isto que a família Tomasi, de Brusque/SC, está fazendo.

A família, composta por:

  • Jocemar Tomasi, 35 anos, empresário do ramo farmacêutico;
  • Adriana, 34 anos, professora;

juntamente com seus filhos:

  • Júlia, de 4 anos, e
  • Miguel, de 2 anos;

partiram em maio deste ano (2012) para percorrer de carro 50 países, 5 continentes em 20 meses de viagem.

Viagem feita em 2010 pelo Uruguai, Argentina e Chile (crédito: Família Tomasi)

Viagem feita em 2010 pelo Uruguai, Argentina e Chile (crédito: Família Tomasi)

O carro, chamado de Papa Léguas, é uma van Peugeot Boxer 2.8 turbo diesel e foi adaptada para motor home pelo Jocemar e seu pai Paulo.

A bordo do Papa Léguas (crédito: Família Tomasi)

A bordo do Papa Léguas (crédito: Família Tomasi)

A viagem iniciou na América do sul, passa pela América Central, América do Norte e  cruzará o Atlântico em direção a Europa. Depois seguirá por alguns países da África, Ásia e encerrará na Oceania.

Os Tomasi já fizeram outras 2 grandes viagens de carro:

  •  Junho de 2010: Uruguai, Argentina e Chile em 18 dias. Nesta viagem conheceram Mendoza, Chillan e Bariloche. A Adriana estava grávida de 6 meses do Miguel.
  • 2011: Argentina, Chile, Bolívia e Peru em 27 dias, 13 mil Km. Nesta aventura passaram pelo Deserto do Atacama, Salar de Uyuni, Machu Picchu, Lago Titicaca e Nasca. O Miguel estava com 5 meses.
Os Tomasi no Salar de Uyuni em 2011 (crédito: Família Tomasi)

Os Tomasi no Salar de Uyuni em 2011 (crédito: Família Tomasi)

 

Mais informações:

As informações atualizadas sobre a aventura estão sendo postadas com mais frequência no Youtube e Facebook. Veja nos links abaixo.

Um grande abraço a todos e até o próximo post.

Alexandre, Rosângela e Felipe