As belas paisagens junto a Carretera Austral capturadas através de um drone

A Carretera Austral (Ruta CH-7) é uma estrada localizada no sul do Chile que possibilitou a conexão da Patagônia chilena com o resto do país após anos de isolamento. A rodovia possui 1.240 km de extensão e liga as cidades de Puerto Montt e Villa O’Higgins. Grande parte da rodovia não é asfaltada, por isso a região é ainda pouco explorada.

No video abaixo você poderá contemplar algumas das paisagens que compõem este incrível percurso, capturadas através de um drone.

[ylwm_vimeo height=”338″ width=”600″]94028541[/ylwm_vimeo]

A carretera teve sua construção iniciada em 1976, está encravada junto a Cordilheira dos Andes e atravessa florestas, rios, vulcões e glaciares. Vários trechos são percorridos através de balsas. Ela foi um dos projetos mais caros e ambiciosos do século XX no Chile.

Percorrer esta estrada está em nossos planos. Esperamos que seja um de nossos próximos roteiros.

Neste link você poderá saber a verdade sobre alguns mitos da Carretera, tais como:

  • Só é possível percorrê-las em veículos 4×4
  • Só é possível viajar no verão
  • É necessário usar roupas apropriadas para montanha

Nos links abaixo você irá encontrar mais informações e fotos sobre a Carretera:

 

,

Viajando de carro com duas crianças a bordo: a nossa experiência!

Na nossa última viagem de carro, em fevereiro de 2014, umas das principais novidades foi a companhia da nossa princesinha Isabela de quatro meses. A Isabela viajou junto com o seu irmão, Felipe de três anos, que embarcou na sua terceira aventura de carro. Portanto esta foi a nossa primeira viagem de carro com duas crianças!

2014-02-09-11-13-28-Foto-0035

Prontos para a nossa primeira viagem com duas crianças

 

Antes de contar como eles se comportaram durante a viagem gostaríamos de comentar um pouco como é o pensamento de muitas pessoas em relação as viagens mais longas, principalmente de carro, com as crianças.

Nós começamos a realizar viagens de carro com percursos mais longos (maiores que 2 mil km) em 2009 (data de criação deste blog). Sempre viajamos sozinhos, ou seja, eu (Rosângela) e o Alexandre. Quando decidimos partir na nossa primeira grande aventura, muitos familiares e amigos achavam que era maluquice da nossa parte viajar mais de 6 mil quilômetros de carro e ainda por cima para fora do país. Não demos ouvidos a eles e seguimos para fazer o que desejávamos, afinal já havíamos feito um ótimo planejamento e coletado valiosíssimas dicas de outros viajantes mais experientes.

Pois bem, imaginem o que muita gente pensou quando tivemos o nosso primeiro filho. Muitos acharam que finalmente nós iríamos parar ou dar uma longa pausa nas viagens. No entanto, sempre tivemos em mente que quando os nossos filhos nascessem eles iriam viajar conosco.

Felipe viajando dentro da barriga para já ir se acostumando ;)

Felipe viajando a Buenos Aires, dentro da barriga, para já ir se acostumando 😉

Como já comentamos em outros posts aqui no blog, o Felipe nasceu e realmente pensamos que iríamos dar uma breve pausa nas viagens. Porém, este pensamento foi extremamente passageiro e, na verdade, foi fruto daquele mar de inseguranças que o início da maternidade e paternidade nos traz, pois não sabíamos como o nosso filho seria e isso nos gerou muitas dúvidas. Será que ele vai incomodar muito? Vai ser uma criança chorona? Será que vai ter dificuldades para dormir à noite? Será que ele vai ter cólicas? Será que vai mamar no peito ou vai precisar de mamadeira? Será que vai ser saudável ou ficará doente com frequência? Enfim, inseguranças que certamente poderiam influenciar na hora de decidir colocar ou não o “pneu na estrada” ainda nos primeiros meses. No entanto, após o seu nascimento e a medida que fomos conhecendo-o melhor, vimos que fomos imensamente abençoados com uma criança muito tranquila e extremamente saudável. Portanto, assim que possível, planejamos a nossa primeira viagem com o Felipe e partimos quando ele tinha seis meses de idade.

Felipe, com 6 meses, em sua primeira longa viagem de carro

Felipe, com 6 meses, em sua primeira longa viagem de carro

 

Claro que as pessoas ao nosso redor não deixaram de exteriorizar suas opiniões e questionavam sobre o tempo de viagem, a distância, o transporte (para grande maioria avião é a melhor opção). Sem contar que ficavam questionando: e se ficarem doentes? E se o carro estragar? E se…? No entanto, se formos pensar de maneira pessimista não vamos passear nem mesmo até a esquina de casa. Quanto ao meio de transporte, sempre que possível, preferimos a liberdade que as viagens de carro nos proporcionam e não acreditamos que os possíveis imprevistos e perrengues da viagem diminuiriam tanto assim se fizéssemos a opção de ter o avião como meio de transporte principal.

Durante as viagens, principalmente quando encontramos brasileiros, muitos se surpreendem de estarmos viajando com crianças tão pequenas. A maioria se admira pela nossa coragem ou consideram que o que estamos fazendo é uma ótima experiência para nossos filhos e terá um grande impacto no futuro.

Além disso, acreditamos que a nossos relatos podem sim influenciar e encorajar outros pais a fazerem longas viagens com os seus filhos, seja de carro, ônibus ou avião. No entanto, tem que haver um pouco de espírito aventureiro para impulsionar esta decisão e curtir momentos agradáveis e divertidos com a família.

O Felipe sempre se comportou muito bem durante as viagens que já realizamos com ele ainda bebê, com seis e depois com 12 meses. Portanto, todo o seu bom comportamento em casa se refletiu durante as viagens que foram muito bem sucedidas, inclusive durante  a nossa viagem de maior percurso (mais de 11 mil quilômetros rodados em 31 dias).

DSC_1984

Felipe, com 12 meses, em Ushuaia. Nosso mais longo percurso viajando de carro

 

Em nossa última viagem (fevereiro de 2014) ele estava com três anos, foi quando podemos perceber melhor o quanto ele realmente gosta de viajar de carro e, por isso, dizemos que ele é um viajante nato! Até mesmo para nós o seu comportamento foi uma surpresa, pois achávamos que em algum momento ele poderia se chatear de ficar muito tempo dentro do carro. Porém, mesmo viajando percursos longos, em nenhum momento ele reclamou da viagem ou se mostrou entediado.

2014-02-09-13-49-44-Foto-0022

Curtindo uma viagem de carro

 

Nesta viagem ele já compreendia melhor o que isto significa. Quando estávamos fazendo o planejamento, falávamos para ele que iríamos ver grandes montanhas e vulcões com picos nevados. Com isto o Felipe ficou muito entusiasmado. Logo que iniciamos a viagem, ele não via a hora de ver estas maravilhas da natureza. Isso fez com que a aventura tivesse um objetivo especial para ele, além da expectativa de ver dinossauros de algumas atrações que iríamos visitar durante a viagem.

 

2014-02-12-20-30-06-Foto-0151

Felipe em El Chocón na Argentina

 

2014-02-22-15-41-00-Foto-1486

Parque Nahuelito em Bariloche na Argentina

 

2014-02-24-14-53-13-Foto-1894

Depois de muito perguntar, enfim o encontro com o seu primeiro vulcão 😉

 

A Isabela nasceu em setembro de 2013 e queríamos muito planejar uma viagem para o início de 2014. Da mesma forma como ocorreu com o Felipe, só que com bem menos insegurança e ansiedade, queríamos conhecê-la primeiro antes de decidir viajar e começar os preparativos. Após o nascimento e os seus primeiros meses, constatamos que fomos novamente abençoados com uma bebê calma, tranquila e esbanjando saúde. Não tivemos dúvida de que em seguida iríamos viajar, o que foi possível em fevereiro de 2014.

Logo no início da viagem de estréia da nossa pequena ela chorava. Mesmo estando com as suas necessidades atendidas, ou seja, sem fome e com as fraldas limpas, quando ela queria dormir começava a chorar muito. Diferentemente da maioria dos bebês, quando ela estava com sono o balanço do carro não ajudava muito para fazê-la adormecer. Porém, isto aconteceu somente durante os três primeiros dias da viagem. Passados esses primeiros dias, ela se acostumou. A partir deste momento, assim como acontecia com seu irmão em suas primeiras viagens, quando ela chorava tínhamos certeza que era fome ou um pedido de troca de fraldas. Desde então, após ser atendida, seguia a viagem tranquilamente, pois já conseguia dormir sozinha somente com o movimento do carro.

2014-02-19-13-56-25-Foto-0964

Isabela, com 4 meses, em sua primeira longa viagem de carro. Parece estar incomodada? 🙂

 

2014-02-21-17-21-53-Foto-1377

O momento do “Tetê” não tem ruim… Até no teleférico!

 

2014-02-11-18-48-16-Foto-0089

Isabela Viajando de Carro 😉

 

A nossa experiência viajando de carro com duas crianças foi muito positiva e tranquila. Importante lembrar que cada criança pode se comportar de forma diferente de acordo com a sua personalidade. Como comentamos, o comportamento dos nossos filhos em casa se refletiu durante as nossas viagens. Além disso, confira abaixo as nossas dicas dos cuidados que temos para minimizar o máximo possível que ocorram transtornos durante as viagens:

  • Fazer um bom planejamento e levar todos os itens necessários para o bem estar das crianças e sucesso da viagem (veja aqui o que levar em viagens com crianças);
  • Procurar inserir atividades e passeios que despertem o interesse dos pequenos;
  • Fazer paradas regulares para descanso, alimentação, trocas de fraldas e idas ao banheiro;
  • Ter pequenos e importantes cuidados para minimizar qualquer tipo de contaminação, tal como lavar as mãos com frequência, usar álcool gel, beber somente água mineral, evitar alimentos com maior probabilidade de agentes contaminantes e cuidamos para que eles não peguem frio ou calor excessivo.
2014-02-14-15-08-08-Foto-0310

Em um piquenique durante a viagem

 

2014-02-14-15-43-10-Foto-0315

Felipe colaborando durante a viagem

 

Viajar com uma, duas ou mais crianças é maravilhoso, pois elas são ótimas companhias, nos divertem, encantam e nos enchem de alegria quando os seus olhinhos brilham demonstrado interesse pelos locais visitados e passeios realizados. Porém nem tudo são flores, devido a companhia dos pequenos, muitos passeios e atividades não podem ser realizadas. A viagem também fica mais demorada devido as paradas constantes para atender às necessidades dos mesmos. Em muito momentos, os passeios são mais trabalhosos e cansativos. Porém, ter a companhia destes pequenos viajantes é bom demais e, no final, tudo é recompensado!

 

Nossos pimpolhos apreciando uma bela paisagem

Nossos pimpolhos apreciando uma bela paisagem

 

Machu Picchu / Peru (Fonte: http://www.peru.travel/)
, ,

Documentação para viajar de carro ao Peru

Que tal ir de carro ao Peru para conhecer Machu Picchu e as Linhas de Nazca? Pretendemos viajar para lá no final deste ano e, para isto, estamos identificando toda a documentação necessária e montando o roteiro para aproveitarmos o melhor deste lindo país.

Para circular de carro pelo Peru é necessário contratar o Seguro Obligatorio de Accidentes de Tránsito (SOAT). Este seguro cobre danos corporais e morte ao motorista, passageiros e pedestres, causados por um acidente de trânsito. O SOAT cobre as despesas médicas, serviços de ambulância e indenizações ao motorista, passageiros do veículo e a terceiros afetados por qualquer lesão física, invalidez permanente ou morte por consequência de um acidente de trânsito. Atente para o fato de que este seguro não cobre dados materiais.

A contratação desse seguro é obrigatória no caso do automóvel não possuir um seguro internacional por danos à terceiros. Isto significa que se você tiver contratado uma Carta Verde que inclua o Peru (o nome deste país deve estar listado explicitamente no documento), não é necessário contratar o SOAT. No entanto, para evitar problemas com a polícia do Peru, famosa pelos pedidos de propinas aos motoristas estrangeiros, é recomendável adquirí-la, pois desta forma você irá portar um documento que será facilmente reconhecido pelos policiais peruanos.

Linhas de Nazca / Peru (Fonte: http://www.peru.travel/)

Linhas de Nazca / Peru (Fonte: http://www.peru.travel/)

Assim que cruzar a fronteira, você deve contratar este seguro em um posto de venda da cidade mais próxima. Para quem entra no Peru pelo norte do Chile, pode-se adquirir o SOAT em Tacna ou Arequipa. O preço varia em função do tipo de veículo. Um carro de passeio custa em torno de 26 Soles (R$21,27) por um período de 1 mês.

Como grande parte dos seguros de automóveis contratados no Brasil cobrem somente os países do Mercosul e o SOAT não cobre danos materiais (nem seu, nem de terceiros), para ir ao Peru é importante que você contrate a extensão de perímetro. A extensão de perímetro é destinada a ampliar a área de cobertura aos que viajarem para os países que não fazem parte do Mercosul. Este seguro irá cobrir os danos corporais e as despesas materiais de seu carro e a de terceiros, no caso de um acidente ou roubo.

Observe que abordamos 3 tipos de seguros que podem ser contratados para visitar o Peru: (i) Seguro Obligatorio de Accidentes de Tránsito (SOAT); (ii) Extensão de perímetro do seguro do carro; e, (iii) Carta verde que inclua o Peru. No entanto, a extensão de perímetro é a melhor opção de seguro, pois é o único que possui cobertura para danos materiais (seu carro e dos demais envolvidos em um acidente) e danos corporais causados a terceiros. A Extensão de Perímetro é uma cobertura adicional do seguro de carro que amplia os direitos do seguro que você têm aqui no Brasil para outros países da América do Sul.

Ciudad Sagrada de Caral - Supe / Peru (Fonte: http://www.peru.travel/)

Ciudad Sagrada de Caral – Supe / Peru (Fonte: http://www.peru.travel/)

No caso do carro ser de empresa, emprestado, financiado por leasing, consórcio ou CDC, também é necessária a autorização para tráfego de veículo fora do território nacional. Este documento é uma declaração consular emitida pela Embaixada do Peru no Brasil. Se o seu carro está no seu nome e não possui nenhuma restrição, você não precisará se preocupar com esse documento.

O Peru não exige o uso de passaporte para entrada no país, podendo ser utilizada a Carteira de Identidade (RG). Também não há necessidade da Permissão Internacional para Dirigir (PID).

Apesar do Peru não exigir o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia – CIVP (carteira de vacinação fornecida pela ANVISA), a Organização Mundial da Saúde recomenda tomar a vacina contra a febre amarela, pois em alguns locais deste país há risco de contrair a doença.

Além do que descrevemos logo acima, para visitar o Peru de carro, também são necessários os outros itens comuns aos demais países da América do Sul:

  • Cinto de segurança para todos os ocupantes do veículo (bancos da frente e de trás);
  • Extintor de incêndio;
  • Cadeirinhas e assento de elevação para crianças, conforme a idade;
  • Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV);
  • Cadenas (caso for trafegar em pistas com neve);
  • Carteira Nacional de Habilitação (CNH); e,
  • Nota fiscal de bens importados comprados legalmente no Brasil.

Veja aqui mais detalhes sobre a documentação e itens obrigatórios para viajar de carro ao Peru.