Aniversário de 2 anos do blog

Olá amigos

Hoje, 21 de agosto de 2011, o Blog Viajando de Carro está completando 2 anos desde seu lançamento. Já ultrapassamos o total de 292 mil visitas, com cerca de 12 mil visitas mensais. Para muitos pode parecer pouco, mas consideramos um bom número para um site sobre um assunto tão específico quanto viagens de carro pela América do Sul.

Já recebemos mais de 400 comentários no blog e diversos emails, cuja maioria buscam solucionar dúvidas sobre futuras viagens. Temos orgulho em dizer que mantemos nosso compromisso de responder todas as mensagens recebidas.

Ao total já realizamos 3 viagens de carro pela América do Sul, conhecendo o Uruguai, Paraguai, Argentina, Chile e Bolívia. Foram mais de 23 mil quilômetros percorridos, 64 dias e mais de 1800 litros de combustível.

Nossos próximas viagens são para conhecer a Patagônia (conhecendo o extremo sul das américas) e o Peru (Linhas de Nazca e Machu Picchu).

Um grande abraço a todos.

Alexandre, Rosângela e o pequeno Felipe

Parada para "abastecer" o Felipe.

Dia 01 – 09/07/2011 (Pelotas -> São Miguel das Missões)

Saída: Pelotas – Km 0 (11:25h)
Chegada: São Miguel das Missões – Km 623 (21:30h)
Distância: 623Km

Hoje damos início a mais uma de nossas aventuras e com o nosso pequeno viajante a bordo: nosso filho Felipe de 6 meses!! Planejamos uma viagem um pouco mais tranquila do que as anteriores para ver como será a adaptação do Felipe. Acreditamos que o gosto por aventuras está no sangue. O fato de termos um bebê saudável e muito tranquilo nos incentivou a organizar esta viagem. Devido ao bebê, não sabíamos quando iríamos retornar a fazer nossas viagens.

Esta viagem foi programada sem tanto planejamento quanto as anteriores. Tínhamos que aproveitar o período das férias de julho. Desde a nossa decisão em viajar e a viagem propriamente dita, não tivemos muito tempo disponível para detalhado planejamento. Escolhemos alguns lugares e que gostaríamos de conhecer e fomos detalhando o roteiro durante a viagem.

A decisão pelo destino surgiu da nossa vontade de conhecer a região das missões, tanto do Brasil (RS) quanto do Paraguai e Argentina.  Queríamos também conhecer as Cataratas do Iguaçu e os parques Talampaia e Ischigalasto na Argentina.

Para o nosso pequeno viajante se fez necessário o planejamento de pequenos cuidados em relação a agasalhos, alimentação e medicamentos que poderiam ser necessários.  Com esta nova experiência pretendemos criar a seção de dicas de viagens com os pequeninos. Antes da nossa decisão final em viajar com nosso filho, consultamos a sua pediatra para assegurar que uma longa viagem de carro durante o inverno não seria desgastante demais para um bebê de apenas 6 meses.  Com o aval da pediatra, iniciamos lentamente os nossos preparativos e hoje estamos aqui na estrada. Desejamos que seja uma viagem tranquila e que o Felipe possa aproveitá-la e curti-la assim como nós. Queremos também que ele desde cedo já vá se habituando, pois temos futuros planos de viagens ainda mais longas.

Acordamos em torno de 8h, após uma noite curta de sono. Até terminamos de arrumar toda a nossa bagagem e organizarmos as coisas do Felipe, acabamos nos atrasando a saindo de casa somente no final da manhã.

Partimos então em direção a São Miguel das Missões – RS, a aproximadamente 600Km de distância de nossa cidade (Pelotas/RS).

Saindo de Pelotas, pega-se a BR392, passando por Canguçu, Caçapava do Sul, São Sepé, até Santa Maria. Então pega-se BR287 à esquerda, entra-se à direita na RS-532 até a cidade de Mata. Saindo de Mata, retorna-se pela RS-532, entra-se à direita na BR-287, passando por São Vicente do Sul, Jaguari e Santiago. Depois entra-se à direita na RS-168, passando por Bossoroca até São Luiz Gonzaga. Pega-se então a 285 à direita. Mais alguns km, dobra-se à direita no acesso a São Miguel das Missões. Praticamente todo o trajeto está em boas condições e totalmente asfaltado. O único trecho problemático é a RS-168 (principalmente o trecho final), o qual possui muitos buracos que acabam exigindo uma atenção redobrada para evitar acidentes e danificar o carro. Evite este trecho à noite.

Ainda pertinho de casa (Canguçu – RS) paramos para fazermos o nosso lanche e para o Felipe comer a sua frutinha.

Imagem de Nossa Senhora da Conceição no mirante em Canguçu/RS.

Imagem de Nossa Senhora da Conceição no mirante em Canguçu/RS.

Dirigimos mais um pouco, e por volta das 14:30h fizemos mais uma parada, pois o Felipe já estava ficando impaciente, além de estar querendo mamar.

Parada para "abastecer" o Felipe.

Parada para “abastecer” o Felipe.

Parada para "abastecer" o Felipe.

Parada para “abastecer” o Felipe.

Parada para "abastecer" o Felipe.

Parada para “abastecer” o Felipe.

Entre Canguçu e Santa Maria a paisagem é muito bonita.

Decidimos dar uma passada na cidade Mata – RS, “cidade da pedra que foi madeira”.

Chegando a Mata, existe a escultura de um grande dinossauro na entrada da cidade, onde paramos para tirar algumas fotos. Mata é uma cidade muito pequena. Quando chegamos a impressão é de que era uma cidade fantasma, pois não havia ninguém pelas ruas e o comércio quase todo fechado. Como  a cidade é conhecida como a cidade da pedra que foi madeira, na sua praça principal, na sua graciosa igreja e também em diversos pontos da cidades existem madeiras petrificadas. As escadarias na praça e também alguns monumentos evidenciavam esta principal característica da cidade.

Dinossauro na estrada de acesso a Mata.

Dinossauro na estrada de acesso a Mata.

O Felipe pegou uma carona com o dino.

O Felipe pegou uma carona com o dino.

Tronco de árvore petrificado.

Tronco de árvore petrificado.

Ouvindo o barulho do mar.

Ouvindo o barulho do mar.

Escadaria feita de madeira petrificada.

Escadaria feita de madeira petrificada.

Antiga máquina à vapor.

Antiga máquina à vapor.

Depois de uma rápida visita, partimos em direção a São Miguel das Missões.

Em torno de 16km antes de São Miguel das Missões existe um belíssimo pórtico dando boas vindas aos visitantes. Tiramos algumas fotos, mas já era noite.

Chegando à cidade, fomos direto ao hotel Barrichello onde pretendíamos ficar hospedados. Local simples, porém limpo e organizado. Ambiente agradável e familiar. Os proprietários Amauri e Vera, que moram no local, fazem o atendimento. O casal é muito simpático e hospitaleiro.

No hotel há opções com ou sem ar condicionado. Os valores para casal são R$80,00 e 70,00 respectivamente. A diária também inclui estacionamento, café da manhã e internet wi-fi.

Após reservarmos o hotel, fomos na pizzaria e lancheria Casarão localizada na avenida principal da cidade, onde se pode saborear uma pizza boa e barata.

Hoje, no nosso primeiro dia de viagem, o nosso pequeno viajante se comportou muito bem e esperamos que ele possa continuar assim pelos próximos dias.

Ir para o próximo dia.

,

De volta ao Brasil: estamos em casa!

Olá viajantes

Gostaríamos de informar aos amigos que já estamos em casa. Chegamos as 2h da madrugada de segunda-feira (1 de agosto). Conforme prometido pela seguradora, eles enviarem um guincho e um taxi (ambos uruguaios) para nos pegar no hotel e nos levar até a fronteira com o Brasil (Rio Branco/Rivera – 280Km de Tacuarembó). Na fronteira já estavam esperando um taxi e um guincho brasileiros, ambos contratados pela seguradora, para nos levar até em casa (Pelotas – 138Km da fronteira).

O único problema que tivemos foi ter que esperar quase 2 horas na fronteira para resolver um pequeno impasse: nenhum dos 2 guinchos poderia atravessar a ponte, que é a linha divisória entre Brasil/Uruguai. Mas depois de muita conversa, envolvendo taxis, guinchos e seguradora, conseguimos resolver o problema e atravessar a ponte. Mas isto iremos contar com mais detalhes em nosso diário de viagem.

Bom, apesar do problema com o carro, a viagem foi excelente. Isto foi apenas um contratempo que não abalou em nada nossa satisfação em viajar. Apenas nos trouxe mais experiência, a qual podemos compartilhar com nossos leitores.

Esta viagem foi mais um aventura bem sucedida, onde pudemos conhecer a beleza extraordinária do Parque Talampaya, a força e imponência das cataratas do Iguaçu (pelo lado brasileiro e argentino) e as históricas missões brasileiras, paraguaias, e argentinas. Conhecemos também o belo e intrigante Parque Ischigualasto e as cidades de Rosário e Córdoba, na Argentina.

Queremos agradecer ao casal José e Leny e seus queridos e simpáticos filhos (de Buenos Aires) que conhecemos em San Agustin de Vale Fértil. Como bom é conhecer, longe de casa, da família e amigos, pessoas tão queridas e prestativas. Um grande abraço a vocês!

Gostaríamos de encerrar este post agradecendo também aos queridos uruguaios Carmen, Charles e Nelson, que nos auxiliaram na estrada, devido ao defeito no carro. Queremos deixar um grande abraço a vocês. São pessoas como vocês que tornam o mundo um lugar melhor.

Prezados leitores, em breve estarão online aqui no blog todo o conteúdo que foram gerados pela viagem.

Obrigado pela companhia.

Um abraço a todos.

Alexandre, Rosângela e Felipe